www.pharmapura.com.br

 
MAMA-CADELA PARA VITILIGO PDF Imprimir E-mail
Qua, 19 de Maio de 2010 16:26

MAMA-CADELA : GRANDE AJUDA PARA AMENIZAR O VITILIGO

 

     Vitiligo é uma doença não-contagiosa em que ocorre a perda da pigmentação natural da pele. Sua causa ainda não é bem compreendida, embora o fator auto-imune pareça ser importante. Contudo, estresse físico, emocional, e ansiedade são fatores comuns no desencadeamento ou agravamento da doença.
     Patologicamente, o vitiligo se caracteriza pela redução no número ou função dos melanócitos, células localizadas na epiderme responsáveis pela produção do pigmento cutâneo - a melanina.
     A doença pode surgir em qualquer idade, sendo mais comum em duas faixas etárias: 10-15 anos e 20-40 anos.
     Essa despigmentação ocorre geralmente em forma de manchas brancas (hipocromia) de diversos tamanhos e com destruição focal ou difusa. Pode ocorrer em qualquer segmento da pele, inclusive na retina (olhos). Os locais mais comuns são a face, mãos e genitais.
     Os pêlos localizados nas manchas de vitiligo se tornam esbranquiçados.
     O local atingido fica bastante sensível ao sol, podendo ocorrer sérias queimaduras caso exposto ao sol sem protetor, conferindo um risco para o desenvolvimento de câncer de pele.
     Existem inúmeras opções terapêuticas para o vitiligo, a saber: corticosteróides, imunomoduladores, helioterapia, PUVA e enxertos cirúrgicos. Esteróides têm sido usados para remover as manchas brancas, porém não são muito eficientes. Outro tratamento mais radical é tratar quimicamente para remover todo o pigmento da pessoa para que a pele fique mais uniforme.(segundo tablóides foi que Michel jackson fez na pele)
     As terapias psicológicas também têm mostrado bons resultados, uma vez que há uma ligação intrínseca entre estresse e a saúde da pele.
     Uma planta que tem sido utilizada no tratamento de vitiligo e outras doenças que causam despigmentação; é a Mama-Cadela (Brosimum gaudichaudii), também conhecida por mamica-de-cadela, algodão-do-campo, amoreira-do-campo, mururerana, apé, conduru, inhoré (no Ceará) ou fruta de cera. Ainda que os estudos científicos a respeito dessa substância não estejam concluídos, de fato vem-se observando a repigmentação de áreas afetadas por vitiligo através de seu uso. Alguns laboratórios goianos, paulistas e do Distrito Federal estão elaborando comprimidos, extratos, tinturas, pomadas e cremes com base nesta planta, que é também recomendada em estados natural na forma de chás. Está entre as plantas citadas por 90% dos raizeiros, em um trabalho etnobotânico realizado na região de Goiânia.
     Esta planta tem como constituintes químicos: bergapteno, psoraleno, saponinas, taninos, protoantocianidinas, alcalóides, furonocumarinas lineares. As furocumarinas possuem ação fotossensibilizante, aumentando a pigmentação da pele, por isso tratam em casos específicos de vitiligo.
     Pode ser utilizado em decocção ou infusão da casca das raízes e folhas em banhos diários nas regiões da pele despigmentadas pelo vitiligo ou por outras manchas; podendo associá-la ao cipó-de-são-joão. Em pó pode ser 1capsula de 500mg ao dia.
     Usar dia sim, dia não. Evitar sol excessivo nos dias das aplicações.

     Consulte sempre o seu médico.